Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Sendo europeísta convicto custa-me ver uma União Europeia em constantes ameaças de desintegração. Todavia, não posso estranhar este facto, pois os caminhos políticos, económicos e estratégicos que as cúpulas de decisão da UE, e certos Governos de estados-membros, têm seguido não têm sido consensuais e, de todo, não ajudam à consolidação dos países e dos povos em torno de um objectivo comum, que deveria de ser a paz e a prosperidade.

As declarações do Primeiro-ministro Cameron são perigosas, mas infelizmente actuais e pertinentes. O referendo sobre a permanência ou não do Reino Unido naUE, pode abrir um precedente muito perigoso que pode levar a médio prazo ao desmantelamento de uma ideia que tinha tudo para ser positiva e fundamental para o futuro da Europa como potência preponderante no paradigma mundial.  

O que é facto é que este referendo que está nos projectos de Cameron, não deixa de estar nas cabeças de alguns lideres europeus (e não só) que neste momento fazem parte da UE. A razão fundamental, penso eu, está na crise que atravessamos que se deve, não só a "factores externos mundiais" e do mercado (que tem as costas largas), mas também é muito agravada por políticas de interesses individuais e de empenho activo de certos estados-membros para a resolução dos problemas, criando clivagens profundas.

É necessário uma convergência de sinergias e uma sintonia de todos os estados-membros (principalmente os que pertencem ao Euro) para superar os problemas e unir a Europa, em vez de a dividir.... perigosamente.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:47


Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.



Mais sobre mim

foto do autor


Calendário

Janeiro 2013

D S T Q Q S S
12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031